segunda-feira, 4 de maio de 2009

Poema gráfico-digital
de
FÁTIMA QUEIROZ

4 comentários:

Mirse disse...

Nunca vi nada mais belo!

Como na arte interpreta-se o que bate o sentimento,

lembra-me um portão de um mosteiro abandonado na antiga Itália.

ou um portão de um presídio abandonado.

Maravilhoso!

Parabéns Fátima Queiróz.

Mirse

rouxinol de Bernardim disse...

Poesia desta vai fazer escola, não duvido! É Freud, é Picasso!

Fernanda Paixão disse...

uuuuuuuu
nossa que susto, que forte, no final há de ter poesia!

muito bom.

um abraço.

rua do mundo disse...

olá, moacy
entrando só hoje, obrigada meu querido

beijão procê