sábado, 14 de julho de 2007


Poema/Processo, realizado em 1998,
da série Poemãos,
de NEIDE DIAS DE SÁ (RJ)

||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||

Continuem prestigiando
o Lambuja, de Regina Pouchain,
com suas incríveis
recriações/releituras cromático-semióticas
de poetas/processo e poetas visuais,
entre os quais Ronaldo Werneck, Joaquim Branco
Maynand Sobral, Nei Leandro de Castro,
Alvaro de Sá, Alex Hamburger, Clemente Padín,
Neide Dias de Sá
e a própria Regina Pouchain,
além desse vosso cangaceiro anticultural
conhecido por Moacy Cirne.

3 comentários:

Regina disse...

Moacy,

Muito lindo ficou o poema da Neide. Não sei mais como agradecer suas palavras no Lambuja.
Beijão,
Regina

Sandra Leite disse...

Ora, Moacy!
Eu bem queria escrever como você, ser poeta.
Que nada, sou economista:-)))Esse é meu castigo!
Os algorítmos tem certo ritmo (pra mim).
Já as palavras , essas sim, me traem. São incontroláveis.
Mas agradeço seu carinho e prometo ser ainda mais cuidadosa com "ela" (a palavra).
Parabéns ao seu talento.
Um brinde! Com Bossa Nova, por que não?
beijos,

Sandra

sandra camurça disse...

Preto, branco e vermelho...Existe combinação mais bela?(risos).
Bela composição também.Adorei!
Beijo tricolor.