domingo, 19 de abril de 2009

Poema gráfico-digital
de
Eliene Dantas

(São José do Seridó, RN)

12 comentários:

Eliene Dantas disse...

É sempre muito gratificante me encontrar entre os seus, CABRA PORRETE DA PESTE! Um beijo carinhoso com todo o encanto do sertão

Cosmunicando disse...

lindo!

betina moraes disse...

belíssimos trabalhos!

não havia estado aqui ainda. agora fiz um tour!

um beijo querido!

Carmem Salazar disse...

Moacy, tem poema teu lá no meu blog. dá uma espiada e se quiseres comentar o poema, não me importo... : )

bjs e bom dia!

oscar kellner netto disse...

CARO MOA, TÃO SUMIDO AMIGO.
TENS VISTO MEU BLOGUINHO DE ARTES?
TEU SILÊNCIO ME FALA ALGUMA COISA, O QUE SERIA?
MANDA LÁ, EU SUPORTAREI.
ABRAÇOS, MANO VELHO.
OSCAR

Rafael disse...

Uau, muito legal aqui!
To seguindo!
Abraço

Rui Luís Lima disse...

Caro Moacy Cirne
Passar por aqui corresponde sempre a uma viagem maravilhosa.
Abraço cinéfilo
Paula e Rui Lima

Mirse disse...

Belíssimo!!!!1

Não há palavras que expressem o que sentimos diante da arte.

Só "EMOÇÃO"

Beijos

Mirse

Eurico disse...

Andei há uns anos acompanhando o Hugo Pontes, em tabloide impresso. Creio que tb acessei o Balaio Incomum. Aqui em Recife conheci o Delmo Montenegro.
Por isso vim lá da Toca do Jens, para conferir o teu espaço.

Abraço fraterno.

A estranha disse...

Maravilhosos os poemas visuais! Amei. E esse negócio de poema processo é digno do autor. Sua cara, embora eu não o conheça.

abraço
Marisete Zanon

Sandra Leite disse...

gosto de sentir o ritmo e o pulsar das cores. Lindo!

beijos, querido poeta

Oliver Pickwick disse...

Estes quatro últimos posts me faz lembrar uma frase de Einstein: "entre duas teorias para explicar o mesmo fenômeno, provavelmente a mais simples é a correta". O camarada, também, entendia de arte.
Um abraço!