quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008


Versão aleatório-computacional
do poema
ABSTRATO
de
Romário Gomes
(São José do Seridó, RN),
in Cacos

2 comentários:

Romário Gomes disse...

Mais abstrato do que nunca. O poema não se quer revelar.

Ivan disse...

Sorry. Look please here